segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Ubuntu e Instalação
Ubuntu e Instalação 2 Aplicativos

Ubuntu e Instalação 2 Aplicativos

BrOffice
BrOffice.org é o nome adotado no Brasil da suíte para escritório OpenOffice.org.. A mudança do nome surgiu em função de um processo movido pela BWS Informática, uma microempresa de comércio de equipamentos e prestação de serviços de informática do Rio de Janeiro que anteriormente já havia registrado a marca "Open Office", sob a alegação de que o nome "OpenOffice.org", mesmo não sendo exatamente igual, poderia causar confusão aos usuários. Desta maneira, o pacote OpenOffice.org não é mais distribuído oficialmente no português do Brasil, sendo em seu lugar disponibilizado o BrOffice.org. Para tanto, foi criada uma ONG, sendo seu primeiro Presidente, Claudio Ferreira Filho. Já a partir da versão 2.1.0 foi adotado o novo nome "BrOffice.org" em detrimento do anterior "OpenOffice.org". Pode ser feito um download para se testar no Windows. No Linux, já vem instalado em várias distribuições, sendo disponibilizado no repositório da maioria das outras, ou por pacotes na página do próprio BrOffice.org
OpenOffice.org é uma suíte de aplicativos para escritório livres multiplataforma, sendo distribuída para Microsoft Windows, Unix, Solaris, Linux e Mac OS X. A suíte usa o formato ODF (OpenDocument) — formato homologado como ISO/IEC 26300 e NBR ISO/IEC 26300 — e é também compatível com os formatos do Microsoft Office além de outros formatos legados.
O OpenOffice.org é baseado em uma antiga versão do StarOffice, o StarOffice 5.1, adquirido pela Sun Microsystems em Agosto de 1999. O código fonte da suíte foi liberado dando início a um projeto de desenvolvimento de um software de código aberto em 13 de outubro de 2000, o OpenOffice.org. O principal objetivo era fornecer uma alternativa de baixo custo, de alta qualidade e de código aberto.

Para instalação é preciso, inicialmente baixar gratuitamente o BrOffice. Pode-se uasar o site oficial www.broffice.org/download

Escolha a versão apropriada para sua versão do Ubuntu, e faça o Download.

Antes de instalar o BrOffice é necessário desinstalar o OpenOffice, para isso devemos abrir uma janela do terminal e digitar:

“sudo apt-get remove openoffice*.*”

depois devemos instalar o Java em nosso PC caso ele já não esteja instalado, para isso siga a explicação sobre a instalação dos plugins JAVA mais abaixo

Uma vez que o download do programa tenha sido realizado, devemos descompactar o arquivo de instalação, bastando clicar com o botão direito do mouse no arquivo e selecionar extrair aqui.

Seria interessante neste momento mudar o nome da pastado BrOffice para algo mais simples, como “BrOffice”, pois isso facilitará nas etapas a seguir.

Abra o Terminal e digite:

“cd Downloads\BrOffice\DEBS”(caso você tenha alterado o nome da pasta como foi sugerido)

Dentro da pasta DEBS execute esse comando:

“sudo dpkg -i *deb”

Com esse comando todos os pacotes .deb do diretório serão instalados.

Agora, dentro da Pasta DEBS existe uma pasta chamada “desktop-integration”. Entre nela e instale com um duplo clique no aplicativo “broffice.org3.2-debian-menus_3.2-9472_all.deb”. Em seguida reinicie o computador e o Br Office estará pronto para ser utilizado. Ele pode ser encontrado em: Aplicativos>Escritório.

Free pascal

O produto Free Pascal Compiler - FPC é um compilador de código aberto profissional de 32 e 64 bits voltado para a programação de computadores nas linguagens de programação PASCAL e OBJECT PASCAL desde 1993. Está disponível para diferentes processadores Intel x86, Amd64/x86 64, PowerPC, Sparc. A versão 1.0 foi descontinuada para o processador Motorola 680x0. Suporta os sistemas operacionais: Linux, FreeBSD, Mac OS X/Darwin, Mac OS Classic, MS-DOS, MS-Win32, IBM-OS/2, Netware (libc e classic) e MorphOS.

Efetue logon com o administrador do sistema, ou seja, o usuário root.

Vamos instalar os pacotes RPM que acabamos de baixar digitando o seguinte comando:

“cd /tmp/freepascal”

“rpm -ihv fpc*.rpm”
Geany

Geany é uma ferramenta para programação e desenvolvimento que trabalha com múltiplas linguagens, podendo ser uma forte aliada para diversos tipos de programadores.
Este software é leve e foi desenvolvido para conferir um IDE menor e mais rápido e que também depende cada vez menos de outros pacotes.
Suporta diversas linguagens. Além das já bastante conhecidas C, Java, PHP, HTML, Perl e Pascal, o Geany também é capaz de programar em ASM, D, CSS, Ferite, XML, Ruby e muitas outras. Você terá a sua disposição uma ferramenta capaz de programar até 38 linguagens de programação.
Ele possui diversos recursos interessantes, como a função de auto-completar, dicas, fechamento automáticos de tags XML e HTML, lista de símbolos, interface para plugins, construção de sistema para compilar e executar os seus códigos e muito mais. Sem dúvida, é um prato cheio para programadores de quaisquer linguagens.


Ele faz o destaque da sintaxe. Faz a indentação automaticamente. Tem os números de linhas pra ajudar a visualizar o código e executa o script que você está editandoao apertar F5.

Então, se cansou de procurar, escuta o que estou dizendo, vale a pena dar uma chance ao Geany! Para instalar, vai até o Synaptic que você encontra, ou então digita no terminal:

Para instalar basta procurar por Geany no gerenciador de pacotes Synaptic, marcá- lo e instalá-lo “sudo apt-get install geany”

Amsn
Podemos instalá-lo através do terminal, digitando o comando sudo apt-get install amsn.
Ou por meio gráfico, basta ir a SISTEMAS, depois em ADMINISTRAÇÃO, a seguir em GERENCIADOR DE PACOTES e finalmente em SYNAPTIC. Coloca-se a senha do usuário que será solicitada, já no gerenciador do pacote escreve-se Amsn e tecle enter, depois aparecerá a instalação dê um clice duplo para selecioná-la e a instalação será realizada.
Para acessar basta procurar por Amsn em aplicativos.

Compactadores
Muitas vezes precisamos enviar múltiplos arquivos ou então algum arquivo muito grande. Nestes dois casos geralmente é útil compactá-los, o que facilita a transmissão. Existem vários formatos de compactação, como por exemplo: zip, rar, tar, tar.gz (tgz), tar.bz2, 7z. A diferença entre eles está no algoritmo utilizado, o que leva a diferentes taxas de compactação.
Instalando: para manipular alguns arquivos compactados é necessário habilitar os repositórios universe e multiverse. Você encontra informações de como fazer isso em AdicionandoRepositorios. Em seguida abra o Synaptic e instale os seguintes pacotes: rar, unrar e p7zip; ou digite em um terminal:
“sudo aptitude install rar unrar p7zip”

Plugins
Um dos problemas mais comuns para quem usa Linux, seja na pequena empresa ou em casa, diz respeito a problemas de visualização e execução de aplicativos em Flash e Java no Firefox.
Por conta disso, a realização de tarefas corriqueiras – como o acesso ao internet banking – fica prejudicada. Segundo Cristiano Meira Magalhães, especialista em Linux, resolver o problema não é difícil, mas exige atenção.
A primeira coisa a fazer é instalar os pacotes flashpluginnonfree e sun-java6-plugin no Ubuntu. Pode-se fazer isso via linha de comando ou no ambiente gráfico.
No primeiro caso, é preciso configurar manualmente os repositórios autorizados que serão acessados pelo sistema operacional.
Para isso, habilite em seu /etc/apt/sources.list (é aqui que o Linux sabe que aplicativos buscar no repositório) as linhas referentes aos repositórios main, universe e multiverse. Eis um exemplo de um arquivo sources.list padrão que pode ser utilizado:
“sudo gedit /etc/apt/sources.list”
# Gutsy
“deb http://us.archive.ubuntu.com/ubuntu/ gutsy main”
“restricted universe multiverse”
“deb-src http://us.archive.ubuntu.com/ubuntu/ gutsy”
“main restricted universe multiverse”
# Gutsy-Updates
“deb http://us.archive.ubuntu.com/ubuntu/ gutsy-updates”
“main restricted universe multiverse”
“deb-src http://us.archive.ubuntu.com/ubuntu/ gutsyupdates”
“main restricted universe multiverse”
# Gutsy-Security
“deb http://us.archive.ubuntu.com/ubuntu/ gutsy-security”
“main restricted universe multiverse”
“deb-src http://us.archive.ubuntu.com/ubuntu/ gutsysecurity”
“main restricted universe multiverse”
Salve e saia do editor.
Atualize a lista de pacotes do sistema e instale os respectivos do flash e java:
“sudo aptitude update”
“sudo aptitude install fl ashplugin-nonfree”
“sudo aptitude install sun-java6-plugin”
Para fazer o mesmo no ambiente gráfico, é necessário carregar o gerenciador de pacotes Synaptic (imagem acima). No menu do Gnome, selecione Sistema, Administração, Gerenciador de Pacotes Synaptic.
No menu do gerenciador, selecione Configurações, Repositórios. Assegure-se de que as opções Programa de Código Aberto mantido pela Canonical (main), Programa de Código Aberto mantido pela Comunidade (universe) e Software restrito por copyright ou problemas legais (multiverse) estejam selecionadas (veja a imagem abaixo).
Após a atualização da lista de aplicativos disponíveis, localize e selecione os pacotes flashplugin-nonfree e sun-jave6-plugin. Depois, selecione Aplicar na barra de ferramentas e siga as instruções do gerenciador.
Verifique se o arquivo libjavaplugin.so existe no diretório /usr/lib/firefox/plugins. Caso não o localize, digite, na linha de comando:
“sudo ln -s /usr/lib/jvm/java-6-sun/jre/plugin/i386/ns7/libjavaplugin.so/usr/lib/firefox/plugins/libjavaplugin.so”

Codecs(mp3, avi, rmvb)
CoDec (Codificador/Decodificador) é um dispositivo de hardware ou software que codifica/decodifica sinais.Estes são bastante simples na instalação.
Ao tentar abrir um programa que necessite de um desses codecs para funcionar o Ubuntu lhe dará a opção de automaticamente baixá-los e instalá-los. Basta esperar algum tempo e músicas e vídeos com essas extensões poderão ser utilizados.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Ubuntu e Instalação

Ubuntu (na língua da África do Sul, significa amizade, alegria, junção) é um sistema operacional de código aberto construído em volta do núcleo GNU/Linux baseado no Debian, sendo o SO de código aberto mais popular do mundo. É patrocinado pela Canonical Ltd.
O Ubuntu diferencia-se do Debian por ser lançado semestralmente, por disponibilizar suporte técnico nos dezoito meses seguintes ao lançamento de cada versão e pela filosofia em torno de sua concepção.
A sua proposta é oferecer um sistema que qualquer pessoa possa utilizar sem dificuldades, independentemente de nacionalidade, nível de conhecimento ou limitações físicas. O sistema deve ser constituído totalmente de software gratuito e livre, além de isenta de qualquer taxa. Atualmente uma organização cuida para que cópias sejam remetidas em CDs para todo o mundo sem custos. O sistema operacional Ubuntu está em primeiro lugar no Distrowatch, página especializada em catalogar o desempenho e uso dos muitos sistemas operativos com núcleo Linux.
Requisitos
Como requisitos mínimos, o Ubuntu apresenta as configurações a seguir, o que não indica que este funcionará 100% se rodado nessas condições.
Processador: 700MHz;
Memória RAM: 512MB;
Disco: 4GB;
Placa Gráfica: qualquer placa gráfica (funcionamento do sistema de efeitos visuais poderá estar condicionado conforme a placa gráfica)
Porém, como garantia de funcionamento otimizado, deve-se usá-lo com os seguintes requisitos:
Processador: 1.2GHz;
Memória RAM: 1GB;
Disco: 10GB

Placa Gráfica: De preferência nVidia, onde, para se ter todas as capacidades dos efeitos visuais deve haver no mínimo uma Geforce6, no entanto, o funcionamento de uma geforce4, chega para os efeitos visuais comuns. Quanto à ATI, recomenda-se no mínimo um R300, Quanto aos utilizadores da placa gráfica integrada Intel, qualquer uma superior à GMA 3000 terá bons resultados.

Instalação
A instalação do sistema operacional UBUNTU é bem simples, exigindo um mínimo de conhecimento sobre particionamento do LINUX. Abaixo está um tutorial detalhado para sua instalação correta.
Antes de mais nada você vai precisar de um CD/DVD(ou dispositivo USB bootável) de instalação do UBUNTU, que normalmente é um live-CD, ou seja, pode ser utilizado como teste mesmo sem ser instalado.
A primeira coisa a fazer, como no caso da instalação de qualquer sistema operacional, é entrar na BIOS do computador e escolher boot primário pelo CD. Salve essa configuração.
Com o CD no computador o boot agora será dado a partir dele. Se estiver utilizando um live-CD duas opções lhe serão dadas. Uma para que você utilize o UBUNTU com menos recursos sem instalá-lo, apenas para testar; outra para iniciar o processo de instalação. Escolha a opção instalação.
Aguarde algum tempo, então terá início o processo de instalação propriamente dito.
A primeira coisa será escolher o idioma que será utilizado. Lembre-se de que tem tanto a opção de português de Portugal, quanto português brasileiro, para não escolher o errado.
Em seguida escolha o fuso horário no qual você está.
Em seguida será a hora de escolher a configuração do teclado. O mais comum no Brasil é Português brasileiro(layout ABNT2), mas normalmente o computador detectará corretamente qual a configuração a utilizar, então basta continuar o processo.
Após isso aguarde um tempo enquanto o hardware é detectado.
Depois efetue o particionamento do disco rígido. Você terá duas opções:
a) Utilizar o disco Inteiro – Caso você pretenda instalar o UBUNTU como único sistema na máquina e sem outras partições.
b) Especificar as partições manualmente – Para escolher manualmente os tamanhos e tipos de cada partição a ser criada. É a opção a ser escolhida em computadores em que já há outras partições ou outros sistemas instalados.
No caso da instalação manual são precisos alguns conhecimentos específicos.
Precisamos clicar em um espaço não particionado do Hd(ou na partição a ser formatada) e selecionar “Nova Partição”. Crie então uma partição de tamanho adequado à sua utilização, que sobre algum espaço para a área de swap, do tipo primária para utilizar como ext4 com ponto de montagem em “/”.
Crie mais uma partição no espaço restante. Esta pode ser menor, também primária e para utilizar como swap.
Agora clique em avançar para abrir uma tela de configurações pessoais como login e senha. Clicando em avançar mais uma vez, aparecerá uma tela de confirmação de passos tomados anteriormente.
Após todos os passos anteriores seguidos corretamente, clique em instalar e basta esperar alguns minutos para poder aproveitar o seu UBUNTU.
Os drivers devem estar todos instalados e funcionando. Alguns programas não devem estar instalados, mas através do gerenciador de pacotes Synaptic e de “adicionar/remover” será posível instalar sua maioria. Vários plug-ins poderão ser instalados na hora em que eles forem solicitados caso haja conexão com a internet.
Para os usuários de “primeira viagem” o Ubuntu pode assustar um pouco à primeira vista. Porém, com poucos dias de uso percebe-se o grande número de vantagens e facilidades que ele oferece se comparado com alguns sistemas operacionais mais utilizados atualmente.



video